Igreja Episcopal Anglicana celebra seu primeiro “casamento gay” em São Paulo
27/11/2018 15:21 em Brasil

A Igreja Episcopal Anglicana celebrou no último dia 24 a primeira cerimônia de “casamento gay” em São Paulo, após a aprovação da união homossexual em junho desse ano. Duas mulheres oficializaram o relacionamento perante a igreja em um sítio no município de São Bernardo do Campo, ABC, com a presença de alguns familiares e amigos.

“A Igreja Anglicana é caracterizada por sua sensibilidade com as questões do mundo moderno, com seus anseios e conflitos, questionando valores petrificados, mas sempre dialogando com a tradição antiga, estudando os textos bíblicos”, declarou o pároco Arthur Cavalcante, da paróquia da Santíssima Trindade, responsável por realizar a cerimônia.

Erika e Allana se conheceram há três anos e decidiram morar juntas. Elas destacaram a opinião do pároco acerca da união. “Cheguei a me questionar se eu estava em pecado, mas o pastor Arthur esclareceu que na Bíblia não há outra regra além do amor ao próximo e o distanciamento do ódio”, disseram, segundo o G1.

A reverência ao Estado e às ideologias humanas, que divergem da fé cristã e do ensino bíblico em inúmeros aspectos, parece que foram o referencial doutrinário do responsável pela paróquia da Santíssima Trindade.

O apelo ao “amor” como regra absoluta para legitimação de algumas condutas é um dos argumentos mais comuns entre os que desprezam o ensino das Escrituras Sagradas em sua totalidade, algo destacado pelo evangelista inglês Rico Tice, em junho desse ano.

“Eu choro pelos líderes que deram as costas à autoridade das Escrituras”, disse ele em uma conferência do GAFCON, em Jerusalém, após ser impedido de pregar em uma campanha evangelística no Reino Unido, por denunciar o pecado da homossexualidade, segundo a Bíblia.

“Deus irá retirar seu Espírito dessa instituição a menos que os anglicanos se arrependam de seus pecados”, disse ele. “Estou falando como um evangelista, alguém que passou os últimos 30 anos tentando ganhar os perdidos. Estou aqui porque sei que não há poder no evangelismo a menos que você esteja submisso às Escrituras”.

“Um dia infame para a história do cristianismo”

A celebração da primeira união homossexual na paróquia da Santíssima Trindade, em São Paulo, é uma consequência da sua aprovação em junho desse ano, após 20 anos de discussão sobre o “casamento gay” na Igreja Episcopal Anglicana.

Após a aprovação por 57 votos a 3, no entanto, o Bispo Primaz da Igreja Anglicana no Brasil, Miguel Uchôa, publicou um comunicado explicando que a Igreja Episcopal Anglicana não é a mesma Igreja Anglicana do Brasil. Ou seja, são denominações diferentes.

Por conta dessa confusão, muitos confundem às duas instituições. Ocorre que em 2005 houve uma separação na Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, exatamente por conta da sua aproximação com pautas ideológicas liberais que afrontam a Bíblia. Os dissidentes, incluindo líderes e membros, formaram a Igreja Anglicana do Brasil.

“Desde 2005, não temos nenhum tipo de relacionamento com essa instituição religiosa (…), por entendermos que ela se afastou tanto das Sagradas Escrituras quanto dos formulários e decisões da Comunhão Anglicana”, escreveu Uchôa no comunicado, classificando a divulgação da posição oficial da Episcopal como “um dia infame para a história do cristianismo”.

O bispo Michel Uchôa deixou claro que a Igreja Anglicana do Brasil entende “a prática homossexual como incompatível com as Escrituras”, não podendo, portanto,  “recomendar a legitimidade ou a bênção de uniões do mesmo sexo, nem ordenar aqueles que estão envolvidos em uniões do mesmo gênero”.

Fonte Gospel +

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!